Botox Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Esta página disponibiliza informações sobre a importância das marcas de expressão para a compreensão das expressões humanas e uma lista de empresas e profissionais especializados no assunto na cidade de Campo Grande. Encontre abaixo empresas e profissionais da região de Campo Grande que oferecem diversos produtos e serviços relacionados e ainda esclareça suas dúvidas sobre o porque de pessoas que recebem injeções de botox no rosto poderem ter dificuldades de compreensão dos pensamentos e emoções alheias.

Kleder Gomes de Almeida
(67) 3326-9151
Mar das Caraibas 51
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Paulo Roberto S Pagliarelli
(67) 3341-9252
Joaquim Henrique 52
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Clínica de Cirurgia Plástica Giovanni Pires Viana
(67) 3351-5328
r Espírito Santo, 1723 Vila Gomes
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Inter Clínica Inter Plástica
(67) 3382-0542
r 25 de Dezembro, 528 Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Plastica's Day Clinic S/S
(67) 3326-8799
r Mar Caraíbas, 51 Chácara Cachoeira
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Agliberto Marcondes Rezende
Rua Antonio Maria Coelho 3861
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Alcides Martins Arruda
(67) 3383-2023
Rua Euclides da Cunha 488
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Clínica João Ilgenfritz
(67) 3321-5040
r José Antônio Pereira, 618 Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Marcelorosseto, Dr.
(67) 3324-1202
r Abrão Júliorahe, 1289 Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Cirurgia Plástica
(67) 3341-7445
r Cel Cacildo Arantes, 433 ap 5 Chácara Cachoeira
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Uso de botox diminui empatia, diz estudo.

Fornecido por: 

Pessoas que recebem injeções de botox no rosto podem ter dificuldade de compreender pensamentos e emoções alheias, segundo cientistas americanos. O estudo, divulgado na publicação científica Social Psychological and Personality Science, afirma que rugas de expressão, como pés de galinha, linhas na testa e vincos entre as sobrancelhas, são essenciais na interpretação das emoções humanas.

Segundo o psicólogo da Universidade do Sul da Califórnia, David Neal, um dos responsáveis pela pesquisa, isso acontece porque normalmente os seres humanos decifram as emoções alheias imitando involuntariamente as expressões uns dos outros.

"A comunicação humana pode ser muito sutil. Eliminar uma parte da informação (seja quando se comunica por mídias eletrônicas, ou quando se paralisa os músculos da face) pode ser a diferença entre a comunicação bem sucedida e o fracasso", afirmou David Neal.

A toxina botulínica, o botox, é um composto produzido por uma bactéria anaeróbia e utilizado em tratamentos estéticos, em pequenas doses, para suavizar as marcas causadas pelas contrações musculares na face ao longo do tempo. Ao ser aplicada no rosto, a toxina bloqueia a liberação de acetilcolina, um neurotransmissor que leva mensagens elétricas do cérebro aos músculos faciais.

A pesquisa , conduzida por Neal e pela psicóloga e neurocientista Tanya Chartrand, da Universidade de Duke, na Carolina do Norte, comparou um grupo de pessoas que fizeram tratamentos estéticos com botox com outro grupo, que utilizou a técnica do preenchimento cutâneo para diminuir as rugas.

O preenchimento cutâneo é feito injetando substâncias químicas sob a pele de rugas e sulcos, em partes selecionadas do rosto. O procedimento, no entanto, não paralisa a musculatura da face.

Os dois grupos de voluntários tiveram que olhar fotos de outras pessoas e relacionar cada imagem com as emoções humanas correspondentes.

Segundo Chartrand, o grupo com botox interpretou as expressões faciais com menor precisão. Já o grupo que fez preenchimento cutâneo teve resultados semelhantes a adultos que não fizeram ne...

Clique aqui para ler este artigo no Veste Moda