Clínica de Psicologia Corumbá, Mato Grosso do Sul

Encontre endereços e telefones de clínica de psicologia em Corumbá. Aproveite para obter dicas e mais informações sobre o assunto em nossos artigos com tutoriais.

Psicanalista
(67) 3324-9063
R, Abrão J;ulio Rahe, 1483
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
 
Psicólogo Fabricio Siqueira Basso
(67) 3325-8197
Rua Sebastião Lima, 454
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
 
Centro Psicológico de Controle do Stress
(67) 3383-0199
av dos Estados, 112, Jardim dos Estados
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
CIDAPP-Centro Integrado de Desenvolvimento e Pesquisa em Psicologia
(67) 3324-9599
r Sebastião Lima, 1143, Jardim Monte Líbano
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Andrade, Denisval P
(67) 3324-4920
r Antônio Corrêa, 319 lt 10, Jardim Monte Líbano
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Adauto Furlanetti
(67) 9264-4869
r Eduardo Santos Pereira, 295 1º Andar, Sala 2
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Instituto CrerSer
67 3382 1750 3027 3565
Rua Pernambuco 1396, Monte Castelo
Campo Grande , Mato Grosso do Sul
 
Clínica de Psicologia Merege
(67) 3384-3907
r 25 de Dezembro, 476 s 4, Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Igor Queiroz Paez
(67) 9965-7660
Rua Espirito Santo, 663
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
 
Clínica de Psicologia Andrea Lacet, Dra
(67) 3321-8077
r Rio Grande Sul, 1530, Jardim dos Estados
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Clínica de Psicologia

Fornecido por: 

Um estudo realizado na Finlândia, no Finnish Institute of Occupational Health, avaliou mais de seis mil adultos entre 39 e 61 anos, saudáveis do ponto de vista cardíaco. Os pesquisadores descobriram, ao longo de 11 anos, que trabalhar três horas a mais por dia (10 horas ao invés de 7 ou 8 horas/dia) eleva em 60% a chance de danos cardíacos – elevando bastante o risco de mortalidade. Os parâmetros de colesterol e hipertensão não se alteraram… Portanto, os fatores mais importantes foram o stresscrônico e o cansaço.

Outro ponto percebido foi que o excesso de trabalho muitas vezes serve para camuflar sintomas de depressão, insônia e ansiedade.

É claro que trabalhar tantas horas em um dia tem relação com alimentar-se mal e fazer menos exercícios – mas a comparação foi válida para pessoas com os mesmos hábitos. Morre mais quem trabalha mais de 10 horas por dia, independente do estilo de vida.

Quem exerce suas atividades com prazer (quem gosta do que faz) teve índices menores de dano cardíaco, mesmo trabalhando muito.

Infelizmente o excesso de trabalho não é uma opção para todos (é quase uma obrigação). Mas se é uma opção, é melhor pensar muito bem nos próximos 11 anos.

...

Clique aqui para ler este artigo no Veste Moda