Brechó: uma verdadeira caixinha de surpresas Alta Floresta D'Oeste RO

Saiba como explorar um Brechó da forma correta. A autora explica que muitas pessoas tem um conceito errado a respeito dos Brechós. Alem das roupas serem bem preservadas e higienizadas, “os Brechós representam a moda através do consumo conscient, mais uma forma de ajudar a conservar o meio ambiente", completa a autora.

Ney Campos Goes
(69) 421-0310
r Vilagran Cabrita, 431
Ji-Paraná, Rondônia
 
MB Dantas
(69) 421-4832
av Marechal Rondon, 780
Ji-Paraná, Rondônia
 
Judissom Marinho
(69) 463-2540
av Rio Branco, 880
Mirante da Serra, Rondônia
 
Genivalda Costa Nascimento
(69) 481-2211
r Rio Grande do Norte, 2253, Espigão do Oeste
Espigao do Oeste, Rondônia
 
Rosa Almeida
(69) 481-3145
r 7 de Setembro, 1513, Espigão do Oeste
Espigao do Oeste, Rondônia
 
Jozineide Almeida
(69) 541-2799
ac Doutor Lewerger, 4013, Guajará-Mirim
Guajara-Mirim, Rondônia
 
Honorio Vargas
(69) 461-3658
ac Daniel Comboni, 645
Ouro Preto D'Oeste, Rondônia
 
Devanil Milochi
(69) 421-5795
av Brasil, 911
Ji-Paraná, Rondônia
 
Adelson Mercado Miranda
(69) 651-2560
av Chianca, 225
Costa Marques, Rondônia
 
Ronaldo José Lima
(69) 421-3887
av Brasil, 1107
Ji-Paraná, Rondônia
 

Brechó: uma verdadeira caixinha de surpresas

Fornecido por: 

Mais presente do que nunca, a moda dos brechós provou que não é algo passageiro. Roupas antigas, coloridas, e acessórios simpáticos, estabelecem um elo entre a moda do fundo do baú e o estilo das vitrines atuais do mundo fashion. Com peças exclusivas, modernas e a preços acessíveis, os brechós se tornaram a melhor opção para aqueles que não estão preocupados em estar na moda, mas sim em fazer a moda, e o mais importante, de forma consciente.

Acredita-se que, desde que um comerciante chamado Belchior abriu sua primeira loja de artigos usados no século XIX, este tipo de comércio se tornou usual nas grandes cidades. Porém, a moda que valoriza o estilo de épocas passadas começou a se propagar nos anos 90, quando saiu da Europa para o resto do mundo. No Brasil, os brechós já se consolidaram há uma década.

Para Andréa Luque, Personal Stylist e proprietária do Brechó 3 Marias, localizado no centro comercial de São Paulo, mais do que lojas de roupas usadas, os brechós podem ser verdadeiros baús de surpresas. "É impressionante a quantidade de roupas em ótimo estado que as pessoas doam ou trazem para vender no brechó", conta a personal.

Constantemente, as revistas de moda mostram em seus editoriais que não existe mais aquela idéia de brechós cheios de mofo e roupas velhas. "No Brechó 3 Marias todas as roupas são lavadas e passadas antes mesmo de chegar aos cabides", explica Andréa. Ela ainda conta que, frequentemente, as pessoas já saem da loja com as peças no corpo. "Com as temperaturas instáveis de São Paulo, é difícil prever o tempo. Às vezes na hora de ir trabalhar está calor, na volta está frio. Como as roupas já são higienizadas, as pessoas que saíram desprevenidas passam no brechó, compram e já podem sair usando um casaco", exemplifica.

Além das próprias roupas, um diferencial tem aparecido nos brechós, a customização. Este novo conceito possibilita que as peças se tornem ainda mais exclusivas. Podem-se colocar botões, desenhos, broches, entre outros acessórios. O processo faz com que a roupa fique diferente...

Clique aqui para ler este artigo no Veste Moda